sábado, 13 de junho de 2009

Folha, Flavio Gomes e anônimos

Infelizmente, a velocidade com que ocorrem as transformações na internet, tanto ferramental como em alcance, não é acompanhada pela evolução comportamental dos internautas. O anonimato é a fórmula perfeita para que covardes, sem rosto e nome, transmitam via rede toda frustração, conservadorismo, intolerância e incompreensão para os assuntos mais diversos (recomendo o excelente texto sobre a lógica do ressentimento e do chilique em Adicional Contradicción).

Nesta semana, o jornalista Flávio Gomes publicou em seu
blog sobre automobilismo um texto sobre seu descontentamento com os rumos seguidos pelo jornal Folha de S.Paulo, onde trabalhara por quase dez anos, e que estampou na manchete de quarta-feira, 10 de junho, que o Brasil estava em recessão. O texto foi o suficiente para que diversos leitores, alguns travestidos de admiradores do esporte, demonstrassem a intolerância escondida para desferir uma série de ataques grosseiros ao jornalista. Se por um lado a pluralidade da internet revela o que há de pior no comportamento e pensamento de um determinado segmento de classe, a versatilidade do meio garante réplicas ágeis. E as de Flávio Gomes são excelentes, ao nivel que merecem os infelizes que postaram ali (clique aqui para ir ao texto de FG sobre a Folha).


* texto atualizado devido à condição ruim da rede quando foi escrito anteriormente.

2 comentários:

guto disse...

A grande mídia já faz, há tempos, uma campanha desigual contra o atual governo federal, e, mesmo assim, os "anônimos" ainda ficam indignados quando alguém expõe uma posição contrária, mesmo que seja em um blog pessoal...

Luiz disse...

Tempos de gotas amargas sob o céu.