quinta-feira, 24 de junho de 2010

Apuntes da Copa (11) – Yes, we can!

- EUA 1 x 0 Argélia – A situação não era das mais difíceis para os norte-americanos: vencer a débil Argélia para garantir a classificação. Os ianques estavam tão à vontade no jogo que perdiam gols inacreditáveis. Contudo, o gol não saía, o tempo passava, o desespero aumentava, os torcedores se contorciam nas arquibancadas, o drama crescia, a Televisa já preparava o roteiro e os EUA iriam embora para casa invictos, com três míseros empates na bagagem. Quando tudo já parecia perdido, lá pela bacia das almas do segundo tempo, Donovam pegou uma rebarba do goleiro argelino M’bolhi e garantiu a festa ianque e de Bill Clinton, a tristeza de Glenn Beck da Fox News e a classificação norte-americana para as oitavas. Os argelinos ficarão sem comentários mais uma vez. Já os EUA enfrentarão Gana na próxima fase. Os norte-americanos vêm dando trabalho às grandes seleções do soccer e, por conta dos cruzamentos das chaves, podem ir longe nesta Copa. Mas ainda precisam aprender muito sobre o jogo com as mulheres, estas, sim, grandes vencedoras naquele país (yes, she can!).

- Inglaterra 1 x 0 Eslovênia – Os ingleses finalmente mostraram um pouco de futebol, esporte que dizem ter inventado ou organizado as regras. Gerrard e Lampard apareceram, Rooney estava mais disposto, mas foi só um golzinho michuruca de Defoe que deu a vitória aos ingleses. Tudo bem, tiveram outras chances, mas por terem marcado apenas dois gols nesta fase, terão que enfrentar os alemães nas oitavas. Aí é clássico. E é bom ir treinando a pontaria também. Quanto aos eslovenos, não jogaram muita coisa para merecerem a classificação. Fizeram um jogo horroroso com os argelinos e só ganharam por culpa do frango do goleiro; contra os americanos tinham a vantagem, mas se não fosse o juiz sairiam derrotados; diante dos ingleses pouco se impuseram e estavam esperando a sorte bater à porta com um empate entre EUA e Argélia. Preferia os russos.

- Austrália 2 x 1 Sérvia – Os sérvios precisavam vencer os australianos para se classificarem à próxima fase. Não parecia ser difícil envolver os kangoroos de cintura dura. Mas não é que os australianos resolveram jogar justo quando já não tinham mais muitas chances? Cahill e Holman anotaram para a Austrália. Pior para os sérvios, que alimentavam a esperança de passar à próxima fase depois da vitória sobre os alemães. Mas se comportaram como o Juventus ou a Lusa, que ganham dos grandes e se complicam diante dos pequenos. No final das contas, justa eliminação para ambos.

- Alemanha 1 x 0 Gana – um jogo parelho, com alemães partindo pra cima, precisando da vitória, e ganenses jogando mais soltos, se aproveitando do nervosismo do adversário. Boas chances de ambos os lados, porém só os alemães balançaram a rede, num chutaço de Mesut Özil. Para felicidade dos ganenses, quem venceu a outra partida foi a Austrália, que precisaria descontar muitos gols de saldo. Sim, os kangoroos lhe salvaram a pele. E de quebra não precisarão enfrentar nenhum gigante na próxima fase, mas sim o arrumado time dos norte-americanos, que ultimamente anda complicando a vida das grandes seleções. Para os alemães sobraram os ingleses, parada indigesta, clássico. Mas os germânicos se apresentaram melhor até aqui. E esse rapagote Özil joga fácil. Meu colega Alex me alertou que ele lembra muito o Paulo Miklos.

Nenhum comentário: