sábado, 26 de junho de 2010

Apuntes da Copa (12) – O campeão voltou, literalmente

Antes tarde do que nunca. Mais análises dos certames passados:

- Eslováquia 3 x 2 Itália – Não teve jeito. A pior Itália dos últimos tempos se foi. E já vai tarde. Não dá para ficar lamentando muito por este time que sequer conseguiu ficar à frente do placar em nenhum jogo, nem contra os esforçados, mas fracos, eslovacos. Vittek fez a festa com dois gols e se tornou um dos artilheiros da competição. Os italianos só melhoraram com a entrada Pirlo e Quagliarella, que fez a jogada do primeiro gol italiano e ainda marcou um golaço nos descontos. O perna-de-pau Pepe ainda perdeu a chance de levar o jogo para a prorrogação. Os eslovacos seguem, mas não devem ter lá muitas chances contra os holandeses. Os italianos, por sua vez, depois da paulada que levaram, precisarão encontrar um novo caminho, buscar novos atletas, trabalhar uma nova geração, pois não possuem mais zagueiros, meias e atacantes bons como tiveram em outros tempos. A Inter de Milão é o maior sintoma dessa carência, pois há cinco anos domina o futebol italiano e não possui um jogador italiano sequer no time titular. Terão quatro anos para repensar o fiasco.

- Paraguai 0 x 0 Nova Zelândia – Já pensou se a Nova Zelândia vencesse o Paraguai? Terminaria na primeira colocação do grupo, situação a princípio inimaginável. Mas faltou qualidade para tentar alguma coisa contra o arrumado time paraguaio, que jogou o suficiente para garantir o empate e a primeira colocação. Se forçasse um pouquinho só, os paraguaios venceriam fácil, mas preferiram se poupar para a fase seguinte – vão ter que gastar o fôlego contra os aplicados japoneses. Os neozelandeses fizeram um bom papel, dentro das limitações do elenco quase amador. Saírem invictos é quase um título para eles. Basta lembrarmos que os neozelandeses ficaram à frente dos últimos campeões. Jogaram muito. Faltou o haka.

- Japão 3 x 1 Dinamarca – Os dinamarqueses não conseguiram segurar o aplicado time japonês. Foram para cima, mas vacilaram bastante. Os japoneses conseguiram anotar dois inéditos gols de falta, em boas cobranças de Honda e Endo. O viking Tomasson ainda descontou numa rebarba da penalidade mal cobrada por ele mesmo. Mas o gol de Okazaki terminaria com a esperança nórdica. Os nipônicos seguem e terão pela frente os valentes paraguaios. Uma pena a desclassificação dos dinamarqueses, pois, junto com o time, a torcida também vai embora.

- Holanda 2 x 1 Camarões – Holandeses e camaroneses fizeram só um amistoso. Van Persie e Huntelaar anotaram para os holandeses e Eto’o descontou para os camaroneses, na despedida dos leões. Sem mais o que comentar, a não ser a volta de Arjen Robben, o grande alento holandês para as fases seguintes. Em 17 minutos, jogou mais que muito holandês nos outros jogos e é certeza de melhora para o ataque. Como diria Silvio Santos, “aguardem”.

Nenhum comentário: