sábado, 19 de junho de 2010

Apuntes da Copa (6) – O futebol saindo de trás do armário

Para amenizar a ausência destes dias, vou tentar resumir como foram os últimos quebra-canelas. Parece que o pessoal ficou um pouco mais animado após o fim da primeira rodada. Repito, um pouco só.

- Honduras 0 x 1 Chile – “El loco” Bielsa colocou o time chileno para frente e seus comandados não decepcionaram diante da fraca seleção hondurenha. Tudo bem, decepcionaram um pouco nas finalizações. Mas fizeram o trabalho direitinho. Destaques? O bom chileno Alexis Sánchez, o autor do gol, Beausejour, e o goleiro hondurenho Valladares que fez ótimas defesas e evitou maiores vexames. Quem marcar mais gols em Honduras dará grande passo para classificação.

- Espanha 0 x 1 Suíça – Os espanhóis atacaram, tentaram, tocaram a bola, tiveram umas não sei quantas chances, mas tiveram de se contentar com o gosto do chocolate suíço. Um amargo e suficiente 1 x 0 para os azarões dos Alpes. O badalado time espanhol não conseguiu furar o bloqueio suíço e levou um gol no contra-ataque, numa rebarba apanhada por Fernandes. Os espanhóis formam um bom grupo com Xavi, Iniesta, Villa, Piqué e companhia, mas precisam ser decisivos. Ou vão ficar pelo caminho mais uma vez.

- África do Sul 0 x 3 Uruguai – A segunda rodada do torneio começou e as equipes parecem estar mais animadas. Deram-se conta que precisam ganhar pelo menos um joguinho para pensar na classificação. Os uruguaios não deram espaços para os sul-africanos e foram para o ataque. Forlán marcou duas vezes, Álvaro Pereira também deixou o seu e o Uruguai ficou próximo das oitavas. Já os anfitriões desta Copa, provavelmente, terão que se contentar só com a festa dos torcedores (se bem que muitos deles foram embora decepcionados antes mesmo da partida terminar). Com uma equipe limitadíssima, e ainda comandada por Parreira, não havia muito mesmo o que esperar. Só lhes restaram as vuvuzelas.

- Argentina 4 x 1 Coréia do Sul – Desta vez o ataque funcionou. Os sempre velozes coreanos não puderam segurar Messi, Tevez, Di Maria, Agüero e Higuaín. As trocas de passes não funcionaram tão bem como contra a Nigéria, mas os gols desta vez vieram. “Pipita” Higuaín foi o destaque da partida ao marcar três vezes. Messi teve menos espaços, mas foi capaz de fazer ótimas jogadas, como nas arrancadas nos dois gols da segunda etapa e a bola por cobertura que não entrou. A zaga continua dando sustos, como na vacilação de Demichelis no lance do gol de Lee Chung-Yong. Maradona precisa acertar a linha da defesa argentina, muito atrapalhada. Os argentinos seguem bem, apostando no ótimo ataque para não depender dos “lá de trás”. E Messi jogando o fino.

- Grécia 2 x 1 Nigéria – Quem disse que os gregos não ganhariam um jogo? Tudo bem que a expulsão do nigeriano Kaita colaborou para que a Grécia enfim apresentasse alguma força ofensiva. Criaram boas chances e viraram o jogo na segunda etapa. O goleiro nigeriano Enyeama, mais uma vez, operava seus milagres, era o melhor jogador em campo, até soltar uma bola nos pés do grego Torosidis. O futebol é muito injusto com os goleiros. Lá na frente, seu companheiro nigeriano Obasi perdia gol sem goleiro. No futebol não existe maior vilão que o “guarda-metas”. E Enyeama ficou caído lá no gramado, lamentando o “dia ruim”.

- França 0 x 2 México – os mexicanos não se intimidaram e foram para cima dos franceses. Logo notaram que sem Fontaine, Platini e Zidane, os franceses seriam adversários comuns. Criaram chances e decidiram o jogo no segundo tempo com Hernández e Blanco. Agora os mexicanos vão decidir com os uruguaios a classificação, sendo que o empate resolve a vida das duas equipes – esperamos que não repitam o legado de alemães e austríacos em 1982. Sobre os franceses, creio que o problema maior é o treinador Domenech, que deveria ter sido demitido logo após o fiasco na Eurocopa. Além dos problemas de relacionamento com os jogadores, Domenech posiciona e escala mal a equipe. O que se vê é um time desfigurado, sem um mínimo de vontade e aplicação. Talvez não seja um ótimo time, mas possui um elenco bom o suficiente para não dar vexame diante de uruguaios e mexicanos. Henry cantando após o jogo resume bem como está o ânimo e o respeito que os jogadores têm por Domenech. Estão à beira de novo fiasco. Zidane estava lá assistindo. Poderia estar jogando.

- Alemanha 0 x 1 Sérvia – O que aconteceu com aquele “futebol moleque” dos alemães? Parece que foi neutralizado pelos sérvios, que correram e marcaram bastante. O jogo foi bom, movimentado, mas não houve aquele futebol envolvente que os alemães conseguiram fazer na primeira partida. O árbitro, para segurar o jogo, começou a distribuir cartões amarelos e acabou expulsando o alemão Klose injustamente. Os sérvios se aproveitaram e marcaram seu golzinho no lance seguinte com Jovanovic. Na segunda etapa, Júnior Baiano foi rememorado novamente, desta vez por Vidic, que colocou a mão na bola dentro da área. O “vilão” Podolski desperdiçou a penalidade, além de outras duas chances de igualar o marcador. Os alemães se complicaram e agora vão ter que ir com tudo contra Gana, no próximo jogo. Esperamos que seja com o mesmo futebol apresentado na estreia.

- Eslovênia 2 x 2 EUA – bom jogo entre eslovenos e estadunidenses. Resolveram mostrar o futebol que estavam escondendo. Não foi um jogo técnico, mas as equipes finalmente estavam com vontade de vencer. Os ianques estavam dormindo na primeira etapa e Birsa (golaço) e Ljubijankic aproveitaram para deixar os eslovenos numa condição favorável. Na segunda etapa, Donovam começou a reação dos EUA, mandando uma bomba quase sem ângulo. Bradley, meio de carrinho, meio de bico, empatou o jogo. No fim, o árbitro ainda garfou um gol de Edu, que seria a virada norte-americana. Os americanos vão para a última rodada precisando ganhar da Argélia, enquanto eslovenos vão ter uma parada dura contra os ingleses. O futebol vai ter que sair do armário.

- Inglaterra 0 x 0 Argélia – Sem comentários.

2 comentários:

André Augusto disse...

O último comentário foi o melhor, Atibaia!

Rapaz, o blog tá show de bola, prometo visitá-lo mais.

Abrazo!

Pedro Leonardo disse...

Valeu, André.

O negócio aqui é falar de quem merece. Uns estão, outros não. Mas não deixo de acompanhar.

Abraços!